P

dicas

Copiando a imagem das atividades Para copiar ou salvar as imagens das atividades siga os seguintes passos: 1- Clique sobre a imagem com o botão direito do mouse. 2- Irá aparecer uma caixa, clique em exibir imagem. 3- A imagem será ampliada, clique novamente sobre ela com o botão direito do mouse. 4- Irá aparecer uma nova caixa, clique em copiar a imagem ou salvar como. 5- Se copiar a imagem cole no Word. 6- Se salvar como, escolha um local no seu computador e salve.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Avaliação diagnóstica O LENHADOR HONESTO


LEIA ATENTAMENTE O TEXTO ABAIXO:

EMEIF____________________________________________________ data__________
Nome:_______________________________________________________ , nº________

Avaliação diagnóstica- Português

O LENHADOR HONESTO

Há muito tempo, numa floresta verdejante e silenciosa, próximo de um riacho de águas cristalinas e espumantes corredeiras, vivia um pobre lenhador que trabalhava muito para sustentar a família. Todos os dias, empreendia a árdua caminhada floresta  adentro, levando ao ombro o seu afiado machado. Partia sempre assobiando contente, pois sabia que, enquanto tivesse saúde e o machado, conseguiria ganhar o suficiente para comprar o pão de que a família precisava.
Um dia, estava ele cortando um enorme carvalho perto do rio. As lascas voavam longe e o barulho do machado ecoava pela floresta com tanta força que parecia haver uma dúzia de lenhadores trabalhando. Passado algum tempo, resolveu descansar um pouco. Recostou o machado na árvore e virou-se para se sentar, mas tropeçou numa raiz velha e retorcida e esbarrou no machado; antes que pudesse pegá-la, a ferramenta caiu ribanceira abaixo, indo parar no rio!
O pobre lenhador vasculhou as águas tentando encontrar o machado, mas aquele trecho era fundo demais. O rio continuava correndo com a mesma tranquilidade de sempre, ocultando o tesouro perdido.
— O que hei de fazer? Perdi o machado! Como vou dar de comer aos meus filhos? — gritou o lenhador. Mal acabara de falar, surgiu de dentro do riacho uma bela mulher. Era a fada do rio que viera até à superfície ao ouvir o lamento.
–– Por que estás sofrendo tanto? — perguntou em tom amável. O lenhador contou o que acontecera e ela mergulhou em seguida, tornando a aparecer na superfície segundos depois com um machado de prata.
–– É este o machado que você perdeu?
O lenhador pensou em todas as coisas lindas que poderia comprar para os filhos com toda aquela prata! Mas o machado não era dele, e balançou a cabeça, dizendo:
–– Meu machado era de aço.
A fada das águas colocou o machado de prata sobre a barranca do rio e tornou a mergulhar. Voltou logo e mostrou outro machado ao lenhador:
–– Talvez este machado seja o seu, não?
–– Não, não! Esse é de ouro! Vale muito mais do que o meu.
A fada das águas depositou o machado de ouro sobre a barranca do rio. Mergulhou mais uma vez. Tornou a subir à tona. Desta vez, trouxe o machado perdido.
–– Esse é o meu! É o meu, sim; sem dúvida!
–– É o seu — disse a fada das águas —, agora também são seus os outros dois. São um presente do rio, por você ter dito a verdade.
À noitinha, o lenhador empreendeu a árdua caminhada de volta para casa com os três machados às costas, assoviando contente e pensando em todas as coisas boas que eles iriam trazer para sua família.

(POULSSON. Emile. In: BENNET, William J. O Livro das Virtudes para Crianças São Paulo; Editora Nova Fronteira, 1993. (Fragmento

1) O lenhador levava uma vida difícil, mas trabalhava com alegria porque podia sustentar sua família. O que representa o machado para o lenhador?

a) Um mero instrumento de trabalho
b) Uma forma de trabalhar sem esforço
c) Um meio de não ter concorrência
d) Uma ferramenta de estimação pois o ajuda sempre.


2) Cansado, o lenhador interrompeu seu trabalho por um instante. Nesse momento, ele tropeçou na raiz e esbarrou no machado que, colocado junto a uma árvore, caiu no rio.
O que se pode observar quanto à reação do lenhador, ao perder o machado?

a) Ficou desesperado e sofrendo muito.
b) Esperou que as águas tranqüilas devolvessem seu machado
c) Ficou calmamente assentado e pensativo
d) Orou simplesmente pedindo seu machado de volta.

3) Antes de trazer à superfície o machado de aço do lenhador, a fada do rio mostrou-lhe outros machados. A razão porque ela agiu assim foi:

a) Ela não conhecia o machado perdido
b) Ela queria saber se o lenhador era honesto
c) Ela queria saber qual o machado era mais valioso
d) Ela queria saber se ele tinha realmente procurado o machado no rio.

4) “Um dia, estava ele cortando um enorme carvalho perto do rio. As lascas voavam longe e o barulho do machado ecoava pela floresta com tanta força que parecia haver uma dúzia de lenhadores trabalhando”. Ao ler este trecho você pode entender,EXCETO:

a) Havia  mais de dez lenhadores cortando carvalhos  na floresta
b) O machado por ser afiado possibilitava rapidez nos cortes
c) O machado jogava as lascas longe do carvalho
d) O lenhador era rápido e ágil com seu machado.

5) Na história que você leu, não há moral, mas há algumas “pistas” no texto que permitem identificar a construção de um ensinamento moral. Que ensinamento moral pode ser identificado nele?

a) Quem tudo quer tudo perde
b) Para bom lenhador qualquer machado serve
c) A honestidade é capaz de derrubar muitas barreiras
d) O grito é um bom recurso quando se está perdido.

O cachorro manco


CACHORRINHO MANCO –
Autor Desconhecido

         Diante de uma vitrine atrativa ,um menino pergunta o preço dos filhotes à venda. Entre 50 e 100 reais, respondeu o dono da loja.
         O menino puxou uns trocados do bolso e disse :
         ___ Eu  só tenho 2,37 reais, mas eu posso ver os filhotes ?
         o dono da loja sorriu e chamou Lady , que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pelo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás , mancando de forma visível.
         Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou :
         ___ O que é que há com ele ?
         o dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tina um problema na junta do quadril , sempre mancaria e andaria devagar.
         O menino se animou e disse:
         ___ Esse cachorrinho que eu quero comprar !
         O dono da loja respondeu :
         ___ Não , você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente.
         O menino ficou transtornado e, olhando bem na cara do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse:
         ___ Eu não quero que você o dê para mim . Aquele cachorrinho vale  tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe dou 2,37 reais agora e 50 centavos por mês, até completar o preço total.
         O dono da loja contestou :
         ___ Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos.
         Aí , o menino abaixou e puxou a perna esquerda da calça para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar.
         Olhou bem para o dono da loja e respondeu :
         ___ Bom , eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso.

AS PERGUNTAS A SEGUIR REFEREM-SE AO TEXTO .

1-     No texto o autor chama os filhotes da cadela Lady de Bolinhas de pêlo. Ele quis dizer que os filhotes são :

a)      Sujos e encardidos
b)      Bonitos e saudáveis
c)      Preguiçosos
d)      Todas as respostas anteriores





2-     Quando o autor escreve que “ele tinha um problema na junta do quadril” significa que, quadril é:

a)      Uma casa de cachorro
b)      Quartel militar
c)      Parte do corpo do cão
d)      Uma loja de quadros

3-     Ao contestar o dono da loja, o garoto teve motivo. Qual era esse motivo ?

a)      O garoto era mal educado
b)      A deficiência do cãozinho não era motivo para que se sentisse pena dele
c)      O preço do cão era alto
d)      Nenhuma das anteriores

4-     Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros... “o garoto quis dizer com isso que :

a)      O cão estava barato demais
b)      Os outros deviam custar menos
c)      O dono devia parcelar a venda
d)      Embora portador de deficiência física, isso não o impedia de Ter uma vida normal.

5-     Atualmente a sociedade tem se mostrado preocupada em melhorar a qualidade de vida de quem e “especial”. Isso quer dizer que :

a)      Portadores de necessidades especiais tem os mesmos direitos que uma pessoa comum
b)      Pessoas especiais ganham mais
c)      Pessoas especiais compram mais carros
d)      Portadores de necessidades especiais tem que ser isolados das pessoas comuns.

6-     O fato do garoto  usar um aparelho para sua locomoção ajudou-o a se identificar com o filhote.
Por que ?

a)      O cão também usava aparelho
b)      O cão era mudo
c)      O garoto entendia o que o filhote sentia, por ser manco
d)      Nenhuma das anteriores

Ficha de avaliação Maternal_ acompanhamento para o professor

Texto lacunado :Poesia - Você Troca? de Eva Furnari


Você Troca?


Você troca um gato contente
Por um pato com dente?

Você troca um canguru de pijama
Por um urubu na cama?

Você troca um coelho de chinelo
Por um joelho de cogumelo?

Você troca um leão sem dente
Por um dragão obediente?

Você troca um ratinho de camisola
Por um passarinho na gaiola?

Você troca uma taturana molhada
Por uma banana descascada?

Você troca um espião com preguiça
Por um ladrão de salsicha?

Você troca um tutu de feijão
Por um tatu de calção?

Você troca um rato assustado
Por um gato amarrado?

Você troca um lobinho delicado
Por um Chapéuzinho malvado?

Você troca um pinguim fantasiado
Por um patim alucinado?

Você troca um mamão bichado
Por um bichão mimado?

Você troca um gato de bota
Por um sapo boboca?

Você troca um varal de feiticeira
Por um final de brincadeira?


Eva Furnari



Complete a poesia de Eva Furnari de acordo com o modelo.
 Você Troca?

Você troca um gato contente
Por um_______________________

Você troca um canguru de pijama
Por um_______________________

Você troca um coelho de chinelo
Por um________________________

Você troca um leão sem dente
Por um_______________________

Você troca um ratinho de camisola
Por um________________________

Você troca uma taturana molhada
Por uma______________________

Você troca um espião com preguiça
Por um________________________

Você troca um tutu de feijão
Por um _______________________

Você troca um rato assustado
Por um_______________________

Você troca um lobinho delicado
Por um _______________________

Você troca um pinguim fantasiado
Por um ________________________

Você troca um mamão bichado
Por um________________________

Você troca um gato de bota
Por um______________________

Você troca um varal de feiticeira
Por um _______________________

Eva Furnari

Textos com alternativas


DOMINGÃO

Domingo, eu passei o dia todo de bode. Mas, no começo da noite, melhorei e resolvi bater um fio para o Zeca.
- E aí, cara? Vamos no cinema?
- Sei lá, Marcos. Estou meio pra baixo...
- Eu também tava, cara. Mas já estou melhor.
E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos, o filme já tinha começado. Teve até um mane que perguntou se a gente tinha chegado para a próxima seção.
Saímos de lá, comentando:
- Que filme massa!
- Maneiro mesmo!
Mas já era tarde, e nem deu para contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira é dia de trampo e eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de semana de novo para eu agitar um pouco mais
.

CAVÉQUIA, MarciaPaganini,I



Os dois personagens que conversam nesse texto são




Adultos.


            


Crianças.


         


Idosos.





Jovens.



A FORMIGA E O GRÃO DE TRIGO

Durante a colheita, um grão de trigo caiu no chão. Ali ele esperou que a chuva o enterrasse.
Então surgiu uma formiga que começou a arrastá-la para o formigueiro.
___ Por favor, me deixe em paz! - Protestou o grão de trigo.
___ Mas precisamos de você no formigueiro - disse a formiga - se não tivermos você para nos alimentar, vamos morrer de fome no inverno.
___ Mas eu sou uma semente viva - reclamou o trigo - não fui feito para ser comido. Eu devo ser enterrado no solo para que uma nova planta possa crescer a partir de mim.
___ Talvez - disse a formiga -, mas isso é muito complicado para mim. E continuou a arrastar o trigo.
___ Ei, espere! - disse o trigo. Tive uma idéia. Vamos fazer um acordo!
___ Um acordo? - perguntou a formiga.
___ Isso mesmo. Você me deixa no campo e, no ano que vem, eu lhe dou cem grãos.
___ Você está brincando - disse a formiga descrente.
___ Não, eu lhe prometo cem grãos iguais a mim no próximo ano.
___ Cem grãos de trigo para desistir de apenas um? - disse a formiga desconfiada. - Como você vai fazer isso?
___ Não me pergunte - respondeu o trigo -, é um mistério que não sei explicar. Confie em mim.
___ Eu confio em você - disse a formiga, que deixou o grão de trigo em seu
lugar.
E, no ano seguinte, quando a formiga voltou, o trigo tinha mantido sua promessa.

O desentendimento entre os personagens da história inicia quando:



o grão de trigo cai no solo.


            


o trigo diz que é uma semente viva.


         


a formiga começa a arrastar a semente.





a formiga aceita fazer um acordo com o trigo.
Na frase,"Cem grãos de trigo para desistir de apenas um?", o uso do ponto de
interrogação indica:




afirmação



            


admiração


         


confirmação





dúvida









LEIA O TEXTO PARA QUE SERVE O SONO?
Entenda por que dormir bem
ajudou a irmã de Ptix a tirar
boa nota na prova!

      Todo mundo dorme todo dia, inclusive os bichos. Se a gente for somar o sono de cada dia, uma criança de 9 anos deve ter dormido um tempo total de 3 anos! Já pensou? Mas pra que serve todo esse tempo de sono?
   
  O Sidarta Ribeiro, cientista do Instituto Internacional de Neurociência da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, pesquisa esse assunto. E ele chegou à conclusão de que o sono é um fixador de memórias. Quer dizer: quando a gente dorme, as memórias do dia são fixadas no cérebro, o que facilita que lembremos delas no dia seguinte. Quem dorme mal ou vira a noite estudando tem mais dificuldade de lembrar do que estudou.
Por isso, o Ptix se deu mal na prova, e a irmã dele não. O jeito é estudar durante o dia, e caprichar no sono de noite...


Roberto Lent. Ciência hoje das Crianças. 16 set. 2005
                                                                                             Disponível em: http://cienciahoje.uol.com.br
                                                            Acesso em: janeiro 2007.



O texto acima tem a finalidade de:






ensinar sobre o sono.


            


fazer propaganda de uma boa noite de sono.


         


contar sobre as descobertas sobre o sono.





informar sobre a importância do sono.











 NO MEIO DA RUA


___ Por que você está carregando esta cama?
___ Ordens do meu médico.
___ O médico mandou você andar por aí com a cama?
___ Sim, recomendou que não deixasse a cama até a semana que vem.

Lourdes Erburu e José Morán. Maria Luisa. Piada para toda a família.
São Paulo: Girassol, s/d.

O humor do texto está presente:




ao interpretar a fala do médico com outro sentido.


            


ao carregar a cama nas costas.


         


ao conversar com o amigo.




ao fazer o que o médico mandou

Texto instrucional - Receita


TEXTO INSTRUCIONAL (RECEITA)
Remédio caseiro ( indicado para Formigas Lava Pés )
Ingredientes
20 gramas de fumo de rolo
1 litro de água

Modo de Preparar
Utilize 20 gramas de fumo de rolo bem forte, que deve ser picado e
fervido durante 1/2 hora em 1 litro de água. Coe em pano fino e misture
3 a 4 litros de água limpa. Em seguida pode ser usado.

1. O texto que você acabou de ler é:
( ) um anúncio
( ) uma receita
( ) uma poesia

2- O remédio acima é para combater:
( ) Borboletas
( ) Formigas
( ) Cigarras

3- Qual o tempo necessário para o preparo:
( ) uma hora e vinte minutos
( ) trinta minutos
( ) duas horas e vinte minutos

Google+ Followers