P

dicas

Copiando a imagem das atividades Para copiar ou salvar as imagens das atividades siga os seguintes passos: 1- Clique sobre a imagem com o botão direito do mouse. 2- Irá aparecer uma caixa, clique em exibir imagem. 3- A imagem será ampliada, clique novamente sobre ela com o botão direito do mouse. 4- Irá aparecer uma nova caixa, clique em copiar a imagem ou salvar como. 5- Se copiar a imagem cole no Word. 6- Se salvar como, escolha um local no seu computador e salve.

Alfabetização

Parlenda : Cadê o toucinho?


[Reescreva+a+letra+da+Parlenda.jpg]










INTERPRETAÇÃO DE ANUNCIO



PRODUÇÃO DE ANÚNCIO










CAÇA PALAVRAS DIVERTIDO


a nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
























DESAFIO ( MÚSICA  CIRANDA-CIRANDINHA )PODE SER ACOMPANHADO COM VIOLÃO

BATE  PAPO  NA  ROÇA









MARICOTA, QUE  BELEZA  !
SEU  VESTIDO DE  CHITÃO !
ONDE  VAIS  ASSIM  FRAJOLA
CHEIRANDO  A  MANJERICÃO  ?

VOU  DANÇAR,  MANE  VIOLA ,
EM  LOUVOR  A  SÃO   JOÃO
QUADRILHA,  POLCA, RANCHEIRA ,
VOU  TAMBÉM  SOLTAR  BALÃO !

TU  NÃO  SABES  MARICOTA,
O  BALÃO  É  PROIBIDO.

ENTÃO  VOU  COMER  PIPOCA
QUE  VAI  SER  MAIS  DIVERTIDO !


QUADRILHA

1- FORMAR  UMA  FILA  COM SEUS   PARES  E  DAR  DUAS VOLTAS ( MARCAR  O  LUGAR  PARA  QUE  AS  CÇAS  NÃO  SE  PERCAM )
2- UM  PAR  PARA  CADA  LADO ( MARCAR   O  LUGAR E O MOMENTO DE ISTO  SE  INICIAR )
3- PREPARAR  PARA  CUMPRIMENTAR  O  PÚBLICO ( DAR UM TEMPO PARA QUE AS  CÇAS VIREM PARA O  PÚBLICO  E FALAR : – CUMPRIMENTAR ,( DAR UM TEMPO) FALAR: AOS SEUS  LUGARES , BAILANDO.
4 CAVALHEIRO  CUMPRIMENTANDO AS DAMAS ( DAR UM TEMPO PARA QUE OS MENINOS FIQUEM DE FRENTE A COMPANHEIRA ) FALAR : CUMPRIMENTAR, AOS  SEUS  LUGARES, BAILANDO
5- DAMAS  CUMPRIMENTANDO  CAVALHEIROS ( FAZER O MESMO )
6- CAVALHEIROS AO CENTRO. DAR UM TEMPO ATÉ QUE TODOS ESTEJAM AO CENTRO. FALAR: CUMPRIMENTAR, AOS  SEUS  LUGARES, BAILANDO .
7- DAMAS  AO  CENTRO ( FAZER O  MESMO )
8- CUMPRIMENTO DE PARES ( TODOS PEGAM NA MÃO E VÃO AO CENTRO ) DAR UM TEMPO.  CUMPRIMENTAR : AS MENINAS DOBRAM JOELHOS  SEGURANDO NA SAIA, OS MENINOS DOBRAM OS JOELHOS TIRANDO O CHAPÉU COM O BRAÇO  ESQUERDO E ACENANDO COM O BRAÇO DIREITO . AOS SEUS  LUGARES . BAILANDO SEMPRE .
9- GALOPE : OS  PARES DANÇAM  TROCANDO O LADO , SEMPRE UM MENINO E UMA MENINA, VÃO ATÉ O CENTRO, SE JUNTAM PARA DANÇAR O GALOPE, VAI ATÉ O FINAL DA FILA E VOLTA NO SEU LUGAR . BAILANDO.
10- DANÇA  CRUZADA : AS  PONTAS  SE  ENCONTRAM (4) E  DANÇAM DEPOIS VOLTAM  AOS  SEUS  LUGARES
11- CADEIRINHA : UM  DE  CADA  LADO ( MENINA E  MENINO ) FAZ  A  CADEIRINHA , DANÇAM, VOLTAM  DE  FRENTE, TROCANDO  LADOS E  ACABAM  VOLTANDO  A  FILA  DE  ANTES . EX : 1  MENINO-DIREITO E A MENINA  ESQUERDA AMBOS  TROCAM , VOLTANDO  DE  FRENTE, TROCANDO  LADOS  ACABAM  VOLTANDO  A  FILA   DE  ANTES .
12- PREPARAR  PARA  A  FOTO : TEM  BASTANTE  FOTÓGRAFOS  AQUI, FAÇAM  UMA  POSE , CAPRICHEM !
13- PASSEIO : FALAR: AGORA  VAI  COMEÇA O PASSEIO, CADA UM COM SEU PAR  DE BRAÇOS DADOS ATÉ FORMAR UMA RODA. BAILANDO . PREPARAR PARA A DANÇA DO TUR
14- DANÇA  DO  TUR – DAMA  NA  FRENTE  DO  CAVALHEIRO, FAZ  TUR, TROCAR , ATÉ  CHEGAR  O  PAR SEMPRE BAILANDO
14- PASSEIO : SEGUE  CADA  PAR  ATRÁS DE  OUTRO  PARA . FAZ  TUR, SEGUE  O  PASSEIO.
15-  CAMINHO  DA  ROÇA : SEGUE O PASSEIO  UM NA FRENTE DO OUTRO,  DAMA SEMPRE NA FRENTE. FALAR : OLHA  A  COBRA ,( AS CRIANÇAS GRITAM, VOLTAM AO CONTRÁRIO E SEGUE O PASSEIO) FALAR:  A  PONTE  QUEBROU, ( AS CRIANÇAS  FALAM  OH 111  E VIRAM  E CONTINUAM O PASSEIO)  FALAR; OLHA  A CHUVA! ( AS CRIANÇAS APENAS REPETEM OH! MAS FAZEM GESTOS DE GUARDA-CHUVA COM AS MÃOS SOBRE A CABEÇA . FALAR: A CHUVA  JÁ  PASSOU. CONTINUAR O PASSEIO, BAILANDO.  VAMOS  SE  PREPARAR  PARA  A  CAPELINHA  DO  AMOR
16- CAPELINHA  DO  AMOR : OS  MENINOS  AJOELHAM-SE  E  ERGUEM  A  MÃO  COM  O  DEDO INDICADOR  E AS  MENINAS  VÃO  PASSANDO   ATÉ  CHEGAREM   NOS  PARES .
17- PASSEIO – FAZ  TUR
PREPARAR PARA O BARQUINHO
18- BARQUINHO
19- PASSEIO –  FAZ TUR
PREPARAR   PARA  O  TUNEL
20- TÚNEL : COMEÇAR O TÚNEL PELO  CASAL  DE  NOIVOS. FALAR  SEMPRE  BAILANDO...
21- PASSEIO-   FAZ  TUR
PREPARAR  PARA  O  CARACOL
22- CARACOL: DAMA  NA  FRENTE  DO CAVALHEIRO- A  NOIVA  COMEÇA E VAI  PUXANDO A FILA  ; DESMANCHAR  O  CARACOL
23- FORMAR  UMA  PEQUENA  RODA
      COROA  DE  ROSAS ( DAMAS NA FRENTE DO CAVALHEIRO DE MÃOS DADAS E OS CAVALHEIROS TAMBÉM FICAM DE MÃOS DADAS. FALAR  : COROAR, AS DAMAS ERGUEM OS BRAÇOS E ENTRELAÇAM COM OS CAVALHEIROS. FALAR: PARA A DIREITA, DEVAGAR, PARA A ESQUERDA.. DESCOROAR)
      COROA  DE  ESPINHO ( MENINOS  AO  CENTRO, FAZER O MESMO ...)
24- PASSEIO  -  FAZ  TUR
25- FORMAR  UMA  GRANDE  RODA
       DANÇA  DOS  NOIVOS
       PAIS  DA  NOIVA
       PAIS  DO  NOIVO
      PADRINHOS : TODOS  COM  SEU  PAR , CADA  UM  COM  SEU  PAR
26- PASSEIO  DA DESPEDIDA
  VIVA  SÃO  JOÃO
  VIVA  SÃO  PEDRO
  VIVA  AS  CRIANÇAS  ....

PROPOSTA DE TRABALHO PARA 1ª E 2ª SÉRIE

ÁREAS DO CONHECIMENTO: LÍNGUA PORTUGUESA E ARTES

TEMA: FESTA JUNINA

Objetivos:  Levar o aluno a:

               -Ter contato com diferentes tipos de textos em situações significativas;

                     - refletir sobre o sistema de escrita alfabético;
              - desenvolver a oralidade;
              - valorizar a cultura popular;
              - desenvolver a expressão plástica;
                     
      SEQÜÊNCIA DE ATIVIDADES

1)   Combinar com a classe que irão participar de uma festa junina.
     - Marcar data  no calendário (levantar quantos dias faltam para a festa)
2)   Levantar com a classe o que terá na festa: comidas e bebidas, brincadeiras, danças, enfeites (organizar uma lista).
3)   Combinar com a classe o que irão apresentar na festa (quadrilha, desafio, trovas, etc.)
4)   Apresentar trovas e cantigas de festa juninas (confeccionar um cartaz)
- Capelinha de melão
- Festa boa
- O balão vai subindo
- Trovinha popular
5)   Propor atividades de leitura relacionadas com o tema:
      - Circular na lista de palavras tudo que encontramos em festa junina
      - Ordenar versos, palavras, letras de uma música ou trovinha
      - Caça-palavras
      - Cruzadinha
6)   Propor atividades de escrita relacionadas ao tema:
- Lista de coisas que encontramos em festa junina (escrita espontânea)
- Escrita de memória de cantigas ou trovinhas
- Nomear figuras (coisa que encontramos em festa junina)
7)   Produção de convites para a festa
      - Explorar a estrutura desse tipo de texto
      - Produzir o texto coletivamente
      - Decorar o convite
8)   Produção da propaganda da festa ( cartaz)
      - Explorar a estrutura desse tipo de texto
      - Produzir os cartazes em grupos
9)       Festejos


CAPELINHA DE MELÃO                                   TROVAS
             
CAPELINHA DE MELÃO                                      MENINA, CASA COMIGO
É DE SÃO JOÃO                                        QUE EU SOU BOM TRABALHADOR
É DE CRAVO, É DE ROSA                                   COM CHUVA NÃO VOU NA ROÇA
É DE MANJERICÃO.                                   COM SOL EU TAMBÉM NÃO VOU

SÃO JOÃO ESTÁ DORMINDO                               TENHO FOME, TENHO SEDE
NÃO ME OUVE, NÃO                                  MAS NÃO DE PÃO E VINHO  
ACORDAI, ACORDAI                                  TENHO FOME DE UM ABRAÇO
ACORDAI, JOÃO.                                              TENHO SEDE DE UM BEIJINHO.

                      (CANTIGA POPULAR)           ROSEIRA, DÁ-ME UMA ROSA
                                                             CRAVEIRO, DÁ-ME UM BOTÃO
FESTA BOA                                             MENINA, DÁ-ME UM ABRAÇO
                                                             QUE EU TE DOU MEU CORAÇÃO.
SÃO JOÃO,
SÃO JOÃO.                                                                      (TROVINHA POPULAR)
FESTA BOA
VIVA SÃO JOÃO!

QUANTA COISA PRA FAZER,
QUANTA COISA PRA ARRUMAR.
TEM CANJICA PRA MEXER,
TEM O COCO PRA RALAR.

VAMOS RALAR O COCO,    } BIS
VAMOS MEXER A CANJICA } BIS

RALAR O COCO,       } BIS
MEXER A CANJICA    } BIS

E DEPOIS DE TUDO PRONTO
VAMOS AGORA DANÇAR.
ESTÁ TUDO PREPARADO
CADA UM PEGA O SEU PAR.

                      (CANTIGA POPULAR)
O BALÃO

O BALÃO VAI SUBINDO
VAI CAINDO A GAROA
O CÉU É TÃO LINDO,
E A NOITE É TÃO BOA
SÃO JOÃO, SÃO JOÃO,
ACENDE A FOGUEIRA
DO MEU CORAÇÃO.

                      (CANTIGA POPULAR)



 TEATRO  CAIPIRA

PERSONAGENS: PADRE, COROINHA ,NOIVA( CHIQUINHA DENGOSA), NOIVO( PEDRINHO FOGUETÃO),DELEGADO,PAIS DA NOIVA,( SEVERINO E JANUÁRIA) PAIS DO NOIVO, IRMÃ DO NOIVO, PADRINHOS DOS NOIVOS, .

CENÁRIO : REPRESENTAÇÃO DE UM ALTAR DE UMA CAPELA

TODOS SE ORGANIZAM PERTO DO ALTAR ENTES DE INICIAR O TEATRO.

MÃE DA NOIVA: ENTRA LOGO FALANDO PARA  A MÃE  DO  NOIVO :
—  É BÃO OCÊ NUM PASSA PERTO DO MEU MARIDO DI NOVO, SINÃO EU VOU TI BATE, SUA REGATERA  !

MÃE DO NOIVO:
— NÃO  CAPAIS QUE EU QUERÊ ESSE HOME FEIO  I  FIDIDO ! CHEGA MEU FIO QUI JÁ VAI CASA  CUM  ESSA  FEIOSA !

A  NOIVA  CHORA

MÃE DA NOIVA:
—  NÃO CHORA NÃO ! DEPOIS EU INSINO PROCÊ COMO É QUI SI INDICA UMA SOGRA !

PADRE IRRITADO :
— FIQUEM QUIETAS, VAMO FAZE LOGO ESTE CASAMENTO ! EI PESSOAR, OLHA A NOIVA CHEGO. VAMO BATE PARMA PRA ELA ? CADÊ O NOIVO ?

NOIVA:
— AI MÃE, ELE NÃO VEM, ACHO QUI VÔ DISMAIÁ ( SIMULA UM DESMAIO E A MÃE E A MADRINHA SOCORREM)

MÃE DA NOIVA :
SEVERINO, ANDA LOGO HOMI, VÁ BUSCA AQUELE PORQUERA QUE BULIU COA NOSSA FIA

PAI DA NOIVA:
— SEU DELEGADO, NÃO É MIO O SENHOR BUSCA AQUELE SENVERGONHA !

DELEGADO :
— PÊRA AÍ SEU PADRE; EU JÁ VÔ BUSCA ELE .( SAI COM A ESPINGARDA E TRAZ O DANADO . ENTRA O NOIVO ENCURRALADO PELO DELEGADO E A TURMA TODA ATRÁS DELE PARA QUE ELE NÃO FUJA)

PAI DA NOIVA:
— QUEM MANDO OCE PISCA PRA ELA  LÁ NO MEIO DO ARROZAR ? AGORA, VAI TE QUE CASAR ?

DELEGADO:
— CUMECE LOGO PADRE, SENÃO O CASAMENTO NUM SAI. BATA O SINO COROINHA!

COROINHA BATE O SINO  POR UM LONGO TEMPO .


PADRE:
— BÃO, VAMO CUMEÇÁ LOGO ESTE CASÓRIO, NÉ PESSOAR, ANTES QUE O NOIVO FUJA. 
( DIRIGE PARA A NOIVA) — OCÊ CHIQUINHA DENGOSA, PROMETE DE CORAÇÃO, AGUENTA ESSE PORQUERA PRA SE SEU MARIDO TODA VIDA, E ACEITA CASÁ CO PEDRINHO FOGUETÃO ?

NOIVA:
— MAS QUE PREGUNTA ESQUISITA SEU VIGÁRIO FAIS PRA MIM; EU  VIM AQUI MAIS PEDRINHO NÃO FOI PRA DIZER QUE SIM ???

O  NOIVO SE AFASTA COM MEDO

PADRE:
— E OCÊ PEDRINHO, QUE ME OLHA ASSIM TÃO PROSA, QUÉ MEMO CASA CÔA CHIQUINHA DENGOSA ?

O NOIVO OLHA PROS LADOS, PARA O PAI DA NOIVA, DEPOIS PARA A MÃE DA NOIVA  E  A MÃE LOGO BATENDO O PÉ E DISSE:

MÃE DA NOIVA :
— DEPOIS QUE VOCÊ USÔ A MINHA FIA, AGORA QUÉ LARGA, NÉ SEU PORQUERA . POIS AGORA OCÊ VAI TE QUE AGUENTÁ ELA PRO RESTO DA VIDA.

MÃE DO NOIVO:
— PARE DI CHINGÁ  MEU FIO, SUA VEIA ORDINÁRIA. NÃO VÊ QUI O COITADINHO TA ASSUSTADO? DEIXE FIO, CASE, DISPOIS  OCE LARGA DESSA FEIOSA !!!

MAE DA NOIVA:
— OIA SEVERINO, E OCÊ INDA FICA DE ZOIO NESSA  DISAVERGONHADA, VEIA ASSANHADA !   OIA ELA FALANO PRA ESSE PORQUERA LARGÁ DA NOSSA FIA !!!

PADRE:
— VAMO PARÁ CUM ISSO, SENÃO NÃO SAI CASAMENTO. VAMO LÁ PEDRINHO, CASE DE UMA VEIS PORQUE SENÃO  MORREREIS !!

NOIVO:
— NUM HAVIA DE QUERE, NUM É ESSA MINHA OPINIÃO MAS, SE NÃO CASO COM A CHIQUINHA , VÔ DIRETO PRO CAIXÃO...( VIRA PARA O DELEGADO QUE ESTÁ DE PUNHO COM A ESPINGARDA) NÃO É MESMO SEU DELEGADO !!!  SIM SIM SIM, CASO UÉ !!!

PADRE:
— INTÃO NÃO TEM MAIS JEITO, OCEIS JÁ ESTÃO CASADO ! I NADA DE BEIJA A NOIVA, PRA MÓDI NÃO ESCANDILIZÁ NINGUÉM !

A MÃE DA NOIVA DESMAIA E O PAI DA NOIVA SOCORRE

PAI DA NOIVA:
— JANUÁRIA. Ô MEU DEUS, SERÁ QUI ELA VAI MORRE BEM AGORA ?

MÃE DO NOIVO:
— NUM TO GOSTANO DISSO!! É FRESCURA DESSA DESPEITADA. SÓ PORQUE MEU FIO TEVE QUE CASA A FORÇA CÔA FEIOSA DA CHIQUINHA DENGOSA .

IRMÃ DO NOIVO:
— LIGA NÃO, MÃE, É FRESCURA DESSA VEIA. ELA TA É QUERENO TOMÁ O PAI DOCE, MÃE

MÃE DO NOIVO:
 ( PUXA O MARIDO PELO BRAÇO E DIZ ) PÁRA DI OIÁ PRA ELA, SEU VEIO ASSANHADO !!!


A MÃE DA NOIVA LEVANTA-SE ABANANDO.

— AI, QUE CALOR ! ( ABANA –SE COM AS MÃOS) — PARECE QUE EU OUVI ESSA REGATERA FALANO DI MIM?

MÃE DO NOIVO: ERGUE OS OMBROS PARA ELA

DELEGADO:
— VAMO PARÁ CO ESSA BAGUNÇA AQUI. O CASAMENTO JÁ ACONTECEU SÓ FARTA O PADRE ABENÇOÁ OS NOIVOS.

PADRE:
— INTÃO, EM NOME DO CRAVO E DO MANJERICÃO, CASO A CHIQUINHA DENGOSA COM O PEDRINHO FOGUETÃO. — E VIVA OS NOIVOS !!

CONVIDADOS  GRITAM :
— VIVA!!! ( CONFORME OS NOIVOS PASSAM PELOS CONVIDADOS, PODE-SE JOGAR ARROZ)
O DELEGADO SOLTA BOMBINHA SE FAZENDO DE TIRO .
PADRE:
— E VAMO PRO BAILE, PESSOAR !!! COM OS CONVIDADOS JÁ FORMADOS, TEM INÍCIO DA QUADRILHA – O GRANDE BAILE DO CASAMENTO !!!

 Atividade elaborada por Vera Galvão ( minha coordenadora)


QUADRILHA
1- FORMAR  UMA  FILA  COM SEUS   PARES  E  DAR  DUAS VOLTAS ( MARCAR  O  LUGAR  PARA  QUE  AS  CÇAS  NÃO  SE  PERCAM )
2- UM  PAR  PARA  CADA  LADO ( MARCAR   O  LUGAR E O MOMENTO DE ISTO  SE  INICIAR )
3- PREPARAR  PARA  CUMPRIMENTAR  O  PÚBLICO ( DAR UM TEMPO PARA QUE AS  CÇAS VIREM PARA O  PÚBLICO  E FALAR : – CUMPRIMENTAR ,( DAR UM TEMPO) FALAR: AOS SEUS  LUGARES , BAILANDO.
4 CAVALHEIRO  CUMPRIMENTANDO AS DAMAS ( DAR UM TEMPO PARA QUE OS MENINOS FIQUEM DE FRENTE A COMPANHEIRA ) FALAR : CUMPRIMENTAR, AOS  SEUS  LUGARES, BAILANDO
5- DAMAS  CUMPRIMENTANDO  CAVALHEIROS ( FAZER O MESMO )
6- CAVALHEIROS AO CENTRO. DAR UM TEMPO ATÉ QUE TODOS ESTEJAM AO CENTRO. FALAR: CUMPRIMENTAR, AOS  SEUS  LUGARES, BAILANDO .
7- DAMAS  AO  CENTRO ( FAZER O  MESMO )
8- CUMPRIMENTO DE PARES ( TODOS PEGAM NA MÃO E VÃO AO CENTRO ) DAR UM TEMPO.  CUMPRIMENTAR : AS MENINAS DOBRAM JOELHOS  SEGURANDO NA SAIA, OS MENINOS DOBRAM OS JOELHOS TIRANDO O CHAPÉU COM O BRAÇO  ESQUERDO E ACENANDO COM O BRAÇO DIREITO . AOS SEUS  LUGARES . BAILANDO SEMPRE .
9- GALOPE : OS  PARES DANÇAM  TROCANDO O LADO , SEMPRE UM MENINO E UMA MENINA, VÃO ATÉ O CENTRO, SE JUNTAM PARA DANÇAR O GALOPE, VAI ATÉ O FINAL DA FILA E VOLTA NO SEU LUGAR . BAILANDO.
10- DANÇA  CRUZADA : AS  PONTAS  SE  ENCONTRAM (4) E  DANÇAM DEPOIS VOLTAM  AOS  SEUS  LUGARES
11- CADEIRINHA : UM  DE  CADA  LADO ( MENINA E  MENINO ) FAZ  A  CADEIRINHA , DANÇAM, VOLTAM  DE  FRENTE, TROCANDO  LADOS E  ACABAM  VOLTANDO  A  FILA  DE  ANTES . EX : 1  MENINO-DIREITO E A MENINA  ESQUERDA AMBOS  TROCAM , VOLTANDO  DE  FRENTE, TROCANDO  LADOS  ACABAM  VOLTANDO  A  FILA   DE  ANTES .
12- PREPARAR  PARA  A  FOTO : TEM  BASTANTE  FOTÓGRAFOS  AQUI, FAÇAM  UMA  POSE , CAPRICHEM !
13- PASSEIO : FALAR: AGORA  VAI  COMEÇA O PASSEIO, CADA UM COM SEU PAR  DE BRAÇOS DADOS ATÉ FORMAR UMA RODA. BAILANDO . PREPARAR PARA A DANÇA DO TUR
14- DANÇA  DO  TUR – DAMA  NA  FRENTE  DO  CAVALHEIRO, FAZ  TUR, TROCAR , ATÉ  CHEGAR  O  PAR SEMPRE BAILANDO
14- PASSEIO : SEGUE  CADA  PAR  ATRÁS DE  OUTRO  PARA . FAZ  TUR, SEGUE  O  PASSEIO.
15-  CAMINHO  DA  ROÇA : SEGUE O PASSEIO  UM NA FRENTE DO OUTRO,  DAMA SEMPRE NA FRENTE. FALAR : OLHA  A  COBRA ,( AS CRIANÇAS GRITAM, VOLTAM AO CONTRÁRIO E SEGUE O PASSEIO) FALAR:  A  PONTE  QUEBROU, ( AS CRIANÇAS  FALAM  OH 111  E VIRAM  E CONTINUAM O PASSEIO)  FALAR; OLHA  A CHUVA! ( AS CRIANÇAS APENAS REPETEM OH! MAS FAZEM GESTOS DE GUARDA-CHUVA COM AS MÃOS SOBRE A CABEÇA . FALAR: A CHUVA  JÁ  PASSOU. CONTINUAR O PASSEIO, BAILANDO.  VAMOS  SE  PREPARAR  PARA  A  CAPELINHA  DO  AMOR
16- CAPELINHA  DO  AMOR : OS  MENINOS  AJOELHAM-SE  E  ERGUEM  A  MÃO  COM  O  DEDO INDICADOR  E AS  MENINAS  VÃO  PASSANDO   ATÉ  CHEGAREM   NOS  PARES .
17- PASSEIO – FAZ  TUR
PREPARAR PARA O BARQUINHO
18- BARQUINHO
19- PASSEIO –  FAZ TUR
PREPARAR   PARA  O  TUNEL
20- TÚNEL : COMEÇAR O TÚNEL PELO  CASAL  DE  NOIVOS. FALAR  SEMPRE  BAILANDO...
21- PASSEIO-   FAZ  TUR
PREPARAR  PARA  O  CARACOL
22- CARACOL: DAMA  NA  FRENTE  DO CAVALHEIRO- A  NOIVA  COMEÇA E VAI  PUXANDO A FILA  ; DESMANCHAR  O  CARACOL
23- FORMAR  UMA  PEQUENA  RODA
      COROA  DE  ROSAS ( DAMAS NA FRENTE DO CAVALHEIRO DE MÃOS DADAS E OS CAVALHEIROS TAMBÉM FICAM DE MÃOS DADAS. FALAR  : COROAR, AS DAMAS ERGUEM OS BRAÇOS E ENTRELAÇAM COM OS CAVALHEIROS. FALAR: PARA A DIREITA, DEVAGAR, PARA A ESQUERDA.. DESCOROAR)
      COROA  DE  ESPINHO ( MENINOS  AO  CENTRO, FAZER O MESMO ...)
24- PASSEIO  -  FAZ  TUR
25- FORMAR  UMA  GRANDE  RODA
       DANÇA  DOS  NOIVOS
       PAIS  DA  NOIVA
       PAIS  DO  NOIVO
      PADRINHOS : TODOS  COM  SEU  PAR , CADA  UM  COM  SEU  PAR
26- PASSEIO  DA DESPEDIDA
  VIVA  SÃO  JOÃO
  VIVA  SÃO  PEDRO
  VIVA  AS  CRIANÇAS  ....




Caça palavras
- insetos





 
DESAFIO JUNINO ( MENINO E MENINA)


MARICOTA DOS RABICHOS
NUNCA VI CABELO ASSIM.
ISSO É TRANÇA OU É DE PALHA
MUITO SECA DE CAPIM?

ZÉ VICENTE, FALADOR,
EU NÃO SEI SE É DE FATO
MAIS BONITO O MEU CABELO
OU O SEU PÉ DE PATO.

Ô MOCINHA, DEIXA DISSO,
EU NÃO SOU TÃO FALADOR.
O MEU PÉ É MUITO GRANDE,
PORQUE SOU BOM CAÇADOR.

ZÉ VICENTE, CAÇADOR,
ONDE ESTÁ A VALENTIA
DE QUEM FUGIU DE UMA ONÇA,
LÁ NO MATO OUTRO DIA?

PRO MEU PÉ, NÃO OLHA NÃO.
VEM DEPRESSA SER MEU PAR.
ELE É GRANDE, MAS GARANTO
QUE AINDA SERVE PARA DANÇAR.

MINHA GENTE, ATÉ LOGO,
VAMOS CONTENTES BRINCAR
SEMPRE FOMOS BONS AMIGOS,
NÃO PRECISAM DUVIDAR.





ATIVIDADES JUNINAS



LEMBRANDO DOS VELHOS TEMPOS

1.     Responda as perguntas com os nomes das personagens de contos de fada a que se referem:

a.     Quem comeu uma maçã envenenada e só acordou com um beijo do príncipe?
Resposta: ___________________________________________
b.     Quem teve que dormir nas cinzas de um fogão por ordem de sua madrasta?
Resposta: ___________________________________________
c.      Quem picou o dedo no fuso de uma roca e dormiu por cem anos?
Resposta: ___________________________________________
d.     Quem tinha longas tranças e morava em uma torre no meio da floresta?
Resposta: ___________________________________________
e.     Quem deixou um rastro com migalhas de pão para encontrar o caminho para casa?
Resposta: ____________________________________________

2.     Leia o nome dos objetos e escreva o nome da história à qual eles pertencem:

a.     Espelho mágico: ______________________________________
b.     Cesta de doces: _______________________________________
c.      Bota de sete léguas: _____________________________________
d.     Sapatinhos de cristal: ___________________________________
e.    Bola de ouro: _________________________________________


Cruzadinha Lh






CAÇA PALAVRAS DE ANIMAIS
CAÇA PALAVRAS - O CIRCO


 Atividades com sons do F e interpretação de poesia







Caça palavras: Eu gosto de...



Estou organizando meu blogg, para facilitar a pesquisa. Em breve, estarei postando mais atividades de alfabetização, nessa página!!
Voltem, para conferir!!!

Ditados recortados











Caça palavras animais vertebrados








 Escreva os nomes dos objetos encontrados no banheiro




























Vamos escrever, trocando os símbolos pelas letras e formando palavras com s e z?




Imprimir folhas para ditados e para colorir

Brinquedos - 

</div><br />
<br />
<br />
<div class=











Brinquedos - 


<div class=








CHAPEUZINHO VERMELHO ( 1ª versão)
Era uma vez, numa pequena cidade às margens da floresta,
uma menina de olhos negros e louros cabelos cacheados, tão
graciosa quanto valiosa.
Um dia, com um retalho de tecido vermelho, sua mãe
costurou para ela uma curta capa com capuz; ficou uma
belezinha, combinando muito bem com os cabelos louros e
os olhos negros da menina.
Daquele dia em diante, a menina não quis mais saber
de vestir outra roupa, senão aquela e, com o tempo, os
moradores da vila passaram a chamá-la de “Chapeuzinho
Vermelho”.
Além da mãe, Chapeuzinho Vermelho não tinha outros
parentes, a não ser uma avó bem velhinha, que nem conseguia
mais sair de casa. Morava numa casinha, no interior da mata.
De vez em quando ia lá visitá-la com sua mãe, e sempre
levavam alguns mantimentos.
28
Um dia, a mãe da menina preparou algumas broas das
quais a avó gostava muito mas, quando acabou de assar os
quitutes, estava tão cansada que não tinha mais ânimo para
andar pela floresta e levá-las para a velhinha.
Então, chamou a filha:
— Chapeuzinho Vermelho, vá levar estas broinhas para
a vovó, ela gostará muito. Disseram-me que há alguns dias
ela não passa bem e, com certeza, não tem vontade de
cozinhar.
— Vou agora mesmo, mamãe.
— Tome cuidado, não pare para conversar com
ninguém e vá direitinho, sem desviar do caminho certo. Há
muitos perigos na floresta!
— Tomarei cuidado, mamãe, não se preocupe.
A mãe arrumou as broas em um cesto e colocou
também um pote de geléia e um tablete de manteiga. A
vovó gostava de comer as broinhas com manteiga
fresquinha e geléia.
Chapeuzinho Vermelho pegou o cesto e foi embora. A
mata era cerrada e escura. No meio das árvores somente se
ouvia o chilrear de alguns pássaros e, ao longe, o ruído dos
machados dos lenhadores.
A menina ia por uma trilha quando, de repente,
apareceu-lhe na frente um lobo enorme, de pêlo escuro e
olhos brilhantes.
Olhando para aquela linda menina, o lobo pensou que
ela devia ser macia e saborosa. Queria mesmo devorá-la num
bocado só. Mas não teve coragem, temendo os cortadores de
lenha que poderiam ouvir os gritos da vítima. Por isso, decidiu
usar de astúcia.
— Bom dia, linda menina — disse com voz doce.
— Bom dia — respondeu Chapeuzinho Vermelho.
— Qual é seu nome?
— Chapeuzinho Vermelho.
— Um nome bem certinho para você. Mas diga-me,
Chapeuzinho Vermelho, onde está indo assim tão só?
— Vou visitar minha avó, que não está muito bem
de saúde.
— Muito bem! E onde mora sua avó?
— Mais além, no interior da mata.
— Explique melhor, Chapeuzinho Vermelho.
— Numa casinha com as venezianas verdes, logo
após o velho engenho de açúcar.
O lobo teve uma idéia e propôs:
— Gostaria de ir também visitar sua avó doente. Vamos
fazer uma aposta, para ver quem chega primeiro. Eu irei por
aquele atalho lá abaixo, e você poderá seguir por este.
Chapeuzinho Vermelho aceitou a proposta.
— Um, dois, três, e já! — gritou o lobo.
Conhecendo a floresta tão bem quanto seu nariz, o lobo
escolhera para ele o trajeto mais breve, e não demorou muito
para alcançar a casinha da vovó.
Bateu à porta o mais delicadamente possível, com suas
enormes patas.
— Quem é? — perguntou a avó.
O lobo fez uma vozinha doce, doce, para responder:
— Sou eu, sua netinha, vovó. Trago broas feitas em
casa, um vidro de geléia e manteiga fresca.
A boa velhinha, que ainda estava deitada, respondeu:
— Puxe a tranca, e a porta se abrirá.
O lobo entrou, chegou ao meio do quarto com um só
pulo e devorou a pobre avozinha, antes que ela pudesse gritar.
Em seguida, fechou a porta. Enfiou-se embaixo das
cobertas e ficou à espera de Chapeuzinho Vermelho.
A essa altura, Chapeuzinho Vermelho já tinha
esquecido do lobo e da aposta sobre quem chegaria primeiro.
Ia andando devagar pelo atalho, parando aqui e acolá: ora era
atraída por uma árvore carregada de pitangas, ora ficava
observando o vôo de uma borboleta, ou ainda um ágil esquilo.
Parou um pouco para colher um maço de flores do campo,
encantou-se a observar uma procissão de formigas e correu
atrás de uma joaninha.
Finalmente, chegou à casa da vovó e bateu de leve
na porta.
— Quem está aí? — perguntou o lobo, esquecendo de
disfarçar a voz.
Chapeuzinho Vermelho se espantou um pouco com
a voz rouca, mas pensou que fosse porque a vovó ainda
estava gripada.
— É Chapeuzinho Vermelho, sua netinha. Estou trazendo
broinhas, um pote de geléia e manteiga bem fresquinha!
Mas aí o lobo se lembrou de afinar a voz cavernosa
antes de responder:
— Puxe o trinco, e a porta se abrirá.
Chapeuzinho Vermelho puxou o trinco e abriu a porta.
O lobo estava escondido, embaixo das cobertas, só deixando
aparecer a touca que a vovó usava para dormir.
Coloque as broinhas, a geléia e a manteiga no guardacomida,
minha querida netinha, e venha aqui, até minha cama.
Tenho muito frio, e você me ajudará a me aquecer um
pouquinho.
Chapeuzinho Vermelho obedeceu e se enfiou embaixo
das cobertas. Mas estranhou o aspecto da avó. Antes de tudo,
estava muito peluda! Seria efeito da doença? E foi
reparando:
— Oh, vovozinha, que braços longos você tem!
— São para abraçá-la melhor, minha querida menina!
— Oh, vovozinha, que olhos grandes você tem!
— São para enxergar também no escuro, minha
menina!
— Oh, vovozinha, que orelhas compridas você tem!
— São para ouvir tudo, queridinha!
— Oh, vovozinha, que boca enorme você tem!
— É para engolir você melhor!!!
Assim dizendo, o lobo mau deu um pulo e, num
movimento só, comeu a pobre Chapeuzinho Vermelho.
— Agora estou realmente satisfeito — resmungou o
lobo. Estou até com vontade de tirar uma soneca, antes de
retomar meu caminho.
Voltou a se enfiar embaixo das cobertas, bem
quentinho. Fechou os olhos e, depois de alguns minutos, já
roncava. E como roncava! Uma britadeira teria feito menos
barulho.
Algumas horas mais tarde, um caçador passou em
frente à casa da vovó, ouviu o barulho e pensou: “Olha só
como a velhinha ronca! Estará passando mal!? Vou dar uma
espiada.”
Abriu a porta, chegou perto da cama e… quem ele viu?
O lobo, que dormia como uma pedra, com uma enorme barriga
parecendo um grande balão!
O caçador ficou bem satisfeito. Há muito tempo estava
procurando esse lobo, que já matara muitas ovelhas e
cordeirinhos.
— Afinal você está aqui, velho malandro! Sua carreira
terminou. Já vai ver!
Enfiou os cartuchos na espingarda e estava pronto para
31
atirar, mas então lhe pareceu que a barriga do lobo estava se
mexendo e pensou: “Aposto que este danado comeu a vovó,
sem nem ter o trabalho de mastigá-la! Se foi isso, talvez eu
ainda possa ajudar!”.
Guardou a espingarda, pegou a tesoura e, bem devagar,
bem de leve, começou a cortar a barriga do lobo ainda
adormecido.
Na primeira tesourada, apareceu um pedaço de pano
vermelho, na segunda, uma cabecinha loura, na terceira,
Chapeuzinho Vermelho pulou fora.
— Obrigada, senhor caçador, agradeço muito por ter
me libertado. Estava tão apertado lá dentro, e tão escuro…
Faça outro pequeno corte, por favor, assim poderá libertar
minha avó, que o lobo comeu antes de mim.
O caçador recomeçou seu trabalho com a tesoura, e da
barriga do lobo saiu também a vovó, um pouco estonteada,
meio sufocada, mas viva.
— E agora? — perguntou o caçador. — Temos de
castigar esse bicho como ele merece!
Chapeuzinho Vermelho foi correndo até a beira do
córrego e apanhou uma grande quantidade de pedras redondas
e lisas. Entregou-as ao caçador que arrumou tudo bem
direitinho, dentro da barriga do lobo, antes de costurar os
cortes que havia feito.
Em seguida, os três saíram da casa, se esconderam entre
as árvores e aguardaram.
Mais tarde, o lobo acordou com um peso estranho no
estômago. Teria sido indigesta a vovó? Pulou da cama e foi
beber água no córrego, mas as pedras pesavam tanto que,
quando se abaixou, ele caiu na água e ficou preso no fundo
do córrego.
O caçador foi embora contente e a vovó comeu com
gosto as broinhas. Chapeuzinho Vermelho prometeu a si
mesma nunca mais esquecer os conselhos da mamãe: “Não
pare para conversar com ninguém, e vá em frente pelo seu
caminho”.

 Chapeuzinho vermelho ( 2ª versão)

Era uma vez, uma menina tão doce e meiga que todos gostavam dela. A avó, então, a adorava, e não sabia mais que presente dar a criança para agradá-la. Um dia ela presenteou-a com um chapeuzinho de veludo vermelho.
O chapeuzinho agradou tanto a menina e ficou tão bem nela, que ela queria ficar com ele o tempo todo. Por causa disso, ficou conhecida como Chapeuzinho Vermelho.
Um dia sua Mãe lhe chamou e lhe disse:
- Chapeuzinho, leve este pedaço de bolo e essa garrafa de vinho para sua avó. Ela está doente e fraca, e isto vai faze-la ficar melhor. Comporte-se no caminho, e de modo algum saia da estrada, ou você pode cair e quebrar a garrafa de vinho e ele é muito importante para a recuperação de sua avó.
Chapeuzinho prometeu que obedeceria a sua mãe e pegando a cesta com o bolo e o vinho, despediu-se e partiu.
Sua avó morava no meio da floresta, distante uma hora e meia da vila.
Logo que Chapeuzinho entrou na floresta, um Lobo apareceu na sua frente.
Como ela não o conhecia nem sabia que ele era um ser perverso, não sentiu medo algum.
- Bom dia Chapeuzinho - saudou o Lobo.
- Bom dia, Lobo - ela respondeu.
- Aonde você vai assim tão cedinho, Chapeuzinho?
- Vou à casa da minha avó.
- E o que você está levando aí nessa cestinha?
- Minha avó está muito doente e fraca, e eu estou levando para ela um pedaço de bolo que a mamãe fez ontem, e uma garrafa de vinho. Isto vai deixá-la forte e saudável.
- Chapeuzinho, diga-me uma coisa, onde sua avó mora?
- A uns quinze minutos daqui. A casa dela fica debaixo de três grandes carvalhos e é cercada por uma sebe de aveleiras. Você deve conhecer a casa.
O Lobo pensou consigo: "Esta tenra menina é um delicioso petisco. Se eu agir rápido posso saborear sua avó e ela como sobremesa”.
Então o Lobo disse:
- Escute Chapeuzinho, você já viu que lindas flores há nessa floresta? Por quê você não dá uma olhada? Você não está ouvindo os pássaros cantando? Você é muito séria, só caminha olhando para frente. Veja quanta beleza há na floresta.
Chapeuzinho então olhou a sua volta, e viu a luz do sol brilhando entre as árvores, e viu como o chão estava coberto com lindas e coloridas flores, e pensou: "Se eu pegar um buquê de flores para minha avó, ela vai ficar muito contente. E como ainda é cedo, eu não vou me atrasar”.
E, saindo do caminho entrou na mata. E sempre que apanhava uma flor, via outra mais bonita adiante, e ia atrás dela. Assim foi entrando na mata cada vez mais.
Enquanto isso, o Lobo correu à casa da avó de Chapeuzinho e bateu na porta.
- Quem está aí? - perguntou a velhinha.
- Sou eu, Chapeuzinho - falou o Lobo disfarçando a voz - Vim trazer um pedaço de bolo e uma garrafa de vinho. Abra a porta para mim.
- Levante a tranca, ela está aberta. Não posso me levantar, pois estou muito fraca. - respondeu a vovó.
O Lobo entrou na casa e foi direto à cama da vovó, e a engoliu antes que ela pudesse vê-lo. Então ele vestiu suas roupas, colocou sua touca na cabeça, fechou as cortinas da cama, deitou-se e ficou esperando Chapeuzinho Vermelho.
E Chapeuzinho continuava colhendo flores na mata. E só quando não podia mais carregar nenhuma é que retornou ao caminho da casa de sua avó.
Quando ela chegou lá, para sua surpresa, encontrou a porta aberta.
Ela caminhou até a sala, e tudo parecia tão estranho que pensou: "Oh, céus, por quê será que estou com tanto medo? Normalmente eu me sinto tão bem na casa da vovó...”.
Então ela foi até a cama da avó e abriu as cortinas. A vovó estava lá deitada com sua touca cobrindo parte do seu rosto, e, parecia muito estranha...

- Oh, vovó, que orelhas grandes a senhora tem! - disse então Chapeuzinho.

- É para te ouvir melhor.

- Oh, vovó, que olhos grandes a senhora tem!

- É para te ver melhor.

- Oh, vovó, que mãos enormes a senhora tem!

- São para te abraçar melhor.
- Oh, vovó, que boca grande e horrível à senhora tem!
- É para te comer melhor - e dizendo isto o Lobo saltou sobre a indefesa menina, e a engoliu de um só bote.
Depois que encheu a barriga, ele voltou à cama, deitou, dormiu, e começou a roncar muito alto. Um caçador que ia passando ali perto escutou e achou estranho que uma velhinha roncasse tão alto, então ele decidiu ir dar uma olhada.
Ele entrou na casa, e viu deitado na cama o Lobo que ele procurava há muito tempo.
E o caçador pensou: "Ele deve ter comido a velhinha, mas talvez ela ainda possa ser salva. Não posso atirar nele”.
Então ele pegou uma tesoura e abriu a barriga do Lobo.
Quando começou a cortar, viu surgir um chapeuzinho vermelho. Ele cortou mais, e a menina pulou para fora exclamando:
- Eu estava com muito medo! Dentro da barriga do lobo é muito escuro!
E assim, a vovó foi salva também.
Então Chapeuzinho pegou algumas pedras grandes e pesadas e colocou dentro da barriga do lobo.
Quando o lobo acordou tentou fugir, mas as pedras estavam tão pesadas que ele caiu no chão e morreu.
E assim, todos ficaram muito felizes.
O caçador pegou a pele do lobo.
A vovó comeu o bolo e bebeu o vinho que Chapeuzinho havia trazido, e Chapeuzinho disse para si mesma:
“Enquanto eu viver, nunca mais vou desobedecer minha mãe e desviar do caminho nem andar na floresta sozinha e por minha conta”.


(Irmãos Grimm)

















0 comentários:

Postar um comentário

Google+ Followers