e

pass

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Projeto poesia


PROJETO POESIA

PROJETO POESIA
Poesia não é só para ler. É para desenhar, recortar, pensar, criar, colorir, brincar, inventar, aprender!
A poesia provoca o inusitado, o inesperado, a expansão do sentido do que pensamos e do que queremos dizer. Há coisas que só são traduzíveis por meio da poesia.
A convivência diária com os versos, ouvindo poesias, lendo, desenvolvendo atividades relacionadas ao universo poético e às infinitas possibilidades da palavra faz com que o educando entre em contato com este universo, pois em um mundo cada vez mais objetivo e apressado, nos esquecemos da própria.


DURAÇÃO 7 SEMANAS
7 POESIAS
• CONVITE - José Paulo Paes
• AS BORBOLETAS – Vinícius de Moraes
• SEM BARRA - José Paulo Paes + formiga em minha barriga (bolo)
• A FLOR AMARELA – Cecíla Meireles
• SE EU FOSSE - Silvana Pinheiro Taets (PEIXE)
• O MENINO AZUL – Cecília Meireles
• NATAL – Vinícius de Moraes

Bibliografia –
http://www.jornaldepoesia.jor.br/

Convite - José Paulo Paes

Poesia
é brincar com palavras
como se brinca
com bola, papagaio, pião.

Só que
bola, papagaio,pião
de tanto brincar
se gastam.
As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas
mais novas ficam.
Como a água do rio
que é água sempre nova.
Como cada dia
que é sempre um novo dia.

Atividades –
Em folhas de papel pardo, desenho e pintura, coletiva, de bola, pipa e pião. Recortar e montar painel na lousa da sala.


SEM BARRA
                                                         (José Paulo Paes)
Enquanto a formiga
Carrega comida
Para o formigueiro,
A cigarra canta,
Canta o dia inteiro.A formiga é só trabalho.
A cigarra é só cantiga.Mas sem a cantiga
da cigarra
que distrai da fadiga,
seria uma barra
o trabalho da formiga.

A CIGARRA E A FORMIGA (La Fontaine)
A cigarra, sem pensar
em guardar,
a cantar passou o verão.
Eis que chega o inverno, e então,
sem provisão na despensa,
como saída, ela pensa
em recorrer a uma amiga:
sua vizinha, a formiga,
pedindo a ela, emprestado,
algum grão, qualquer bocado,
até o bom tempo voltar.
"Antes de agosto chegar,
pode estar certa a senhora:
pago com juros, sem mora."
Obsequiosa, certamente,
a formiga não seria.
"Que fizeste até outro dia?"
perguntou à imprevidente.
"Eu cantava, sim, Senhora,
noite e dia, sem tristeza."
"Tu cantavas? Que beleza!
Muito bem: pois dança agora..."
Do livro Fábulas de La Fontaine, 1992.

Atividades –
Pintura de folha com esponja e tinta verde. Recorte feito pelas professoras. Dobradura da formiga. Colagem.
Cozinha experimental – bolo formigueiro.



Leilão de Jardim
                                                                         Cecília Meireles

Quem me compra um jardim
com flores?

borboletas de muitas
cores,

lavadeiras e passarinhos,

ovos verdes e azuis
nos ninhos?

Quem me compra este caracol?

Quem me compra um raio
de sol?

Um lagarto entre o muro
e a hera,

uma estátua da Primavera?

Quem me compra este formigueiro?

E este sapo, que é jardineiro?

E a cigarra e a sua
canção?

E o grilinho dentro
do chão?

(Este é meu leilão!)


Atividades –
Montagem da poesia com ilustrações por partes



O Pato
                                                                  Vinícius De Moraes
Lá vem o Pato

Pata aqui, pata acolá

La vem o Pato

Para ver o que é que há.


O Pato pateta

Pintou o caneco

Surrou a galinha

Bateu no marreco

Pulou do poleiro

No pé do cavalo

Levou um coice

Criou um galo

Comeu um pedaço

De jenipapo

Ficou engasgado

Com dor no papo

Caiu no poço

Quebrou a tigela

Tantas fez o moço

Que foi pra panela.
Atividades –
Encenação da poesia


As Borboletas
                                                        Vinícius De Moraes

Brancas

Azuis

Amarelas

E pretas

Brincam

Na luz

As belas

Borboletas


Borboletas brancas

São alegres e francas.

Borboletas azuis

Gostam muito de luz.


As amarelinhas

São tão bonitinhas!


E as pretas, então . . .

Oh, que escuridão!
Atividades –
Pintura espelho de borboletas. Uma, articulada, será levada pelas crianças.


A Galinha-D'Angola

                                                                        Vinícius De Moraes

Coitada

Da galinha-

D'Angola

Não anda

Regulando

Da bola

Não pára

De comer

A matraca

E vive

A reclamar

Que está fraca:

Atividades –
Escutar a música.
Impressão da mão em tinta preta e cobrir de bolinhas brancas com cotonete e tinta branca. 

0 comentários :

Postar um comentário

shoptime

shoptime

shoptime